Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TEMPERANDO ...

Temperando ...




Temperando a temperar
Tempero do bom humor
Temperando hás de achar
Seja aqui, ou onde for

Temperando o amor
Na alta temperatura
O clímax superior
Enlevo da criatura

No âmago da quietude
Onde o tempero transcende
Da mais singela atitude
Ao requinte que se aprende

É no tempero da vida
Que o caráter se forja
E ao imo dá guarida
No tear que tece a corja

Tempero dá a têmpera
Consistência dos metais
E o vigor se assevera
Na fundição dos cristais

Foi no tempero da vida
Que temperei o amor
O teu tempero querida
Foi sal, pimenta, sabor

Condimentos, combinados
Temperos que gosto dão
Na culinária, usados
Do amor, no coração

Na sedução, sedutora
Tempero é convencimento
É como luz refletora
Espelho do firmamento

São Paulo, 22/05/2008
Armando A. C. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário