Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Lágrimas do Coração


Lágrimas do Coração

As que dos olhos escorrem
Enxugam-se até com a mão
O mais difícil é secar
As lágrimas do coração

São Paulo, 20/06/2012
Armando A. C. Garcia

Visite meu blog: http://brisadapoesia.blogspot.com

terça-feira, 19 de junho de 2012

Finalmente !


Finalmente !

Na estrada da existência que trilhamos
Ergue-se um altar de dor e sofrimento
Neste mundo insano onde nos maltratamos
Quando bate em nós, o negro desalento

Tornando ínfimo aquele que ele magoa
Arrancando as esperanças e o prazer
Aniquila física e moralmente, qual leoa
Que ataca a vítima ao alvorecer

Qual silício que com resignação aceita
A humanidade se submete impassível
E a cada dia a porta mais se estreita

A sobreposição dos contraste espreita
A inversão natural do impossível
Quem sabe o mundo, finalmente, se ajeita !


São Paulo, 19/06/2012
Armando A. C. Garcia

Visite meu blog: http://brisadapoesia.blogspot.com

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Tua beleza


Tua beleza

Tua beleza e encanto
Balança minha emoção
É um arroubo e tanto
Prazerosa profusão

A arte da natureza
Pôs em ti, todo requinte
Deu-te a maior riqueza
Que, não tem pintor que pinte

Esplendorosa e bela
Majestosa qual rainha
E ao mesmo tempo singela,
Onde o desejo se aninha

Teu encanto me domina
Não respeita meu querer
Minha razão se inclina
Sujeita a nunca te ter

Trina longe a melodia
Não vem de ti o cantar
Mas sinto nessa harmonia
Meu coração a te amar

Estás longe, qual estrela
Que à noite fito no céu
É só abrir a janela
Que estarei ao lado teu

Sinto olor do teu perfume
Na ramagem das flores
Em torrentes como lume
Consumido de amores  !

Porangaba, 16/06/2012
Armando A. C. Garcia

As cortinas da alma


As cortinas da alma

Abre as cortinas da alma
Deixa o sol penetrar
Tua vida terá calma
Poderás dormir, sonhar

Verás que tudo está mudado
Com fé, vigor e alento
Serás querido e amado
Não mais no esquecimento

A paz, grandiosa e mansa
Envolverá todo teu ser
Nem espada e nem a lança
Poderão fazer-te sofrer

Das coisas vãs, sem sentido
Tua alma, afastar-se-á.
O coração protegido
Do mal, defender-te-á

É prazer que não fatiga
Fórmula que não engana
Alimento que mitiga
E tua alma engalana

Na análise do real
A alma se engrandece
Quando afastada do mal
Rende a Deus uma prece

Porangaba, 16/06/2012
Armando A. C. Garcia

domingo, 17 de junho de 2012

Olá pessoal !


Olá pessoal !

Olá pessoal ! Desculpem minha ausência
Sérios problemas tiraram-me a paciência
E sem ela, sem paz de espírito, impossível
Aspirar a poesia, que no ar paira invisível

Mas aqui estou, novamente, para dar o recado
Que Deus me outorgou liberto do pecado
Para levar até vocês nesta rude poesia
Algo sobre o amor, a verdade e a alegria

E na grandeza sublime de caminhar
Com coração limpo e pulmão cheio de ar
Ter na alma a esperança da Luz maior
Aquela, que eleva o homem ao Criador !

Porangaba, 16/06/2012
Armando A. C. Garcia