Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Desisti

Desisti


Desisti de viver, estou cansado
Já nada me consola ou me alegra
Neste meu viver triste e magoado

Desisti de tudo, neste velho fado
E ninguém diga, que sofrer é regra
Pois a sofrer, ninguém fica acostumado

Desenganado de mudanças nesta vida
De mágoas, e de desventuras negras
Que aumentam meu tormento, minha ferida

O tempo vai apoucando a nostalgia
E as palavras magoadoras a negrar
O dia a dia que se estende na natureza

Molestado, desgostoso, maltratado
Nada mais aqui, me faz realegrar
Sou a sombra, do que era no passado

Aumentou o desinteresse pela vida
Já examinei meu crânio com a legra
E vi, ao tempo, ser uma coisa perdida

Por isso desisti de viver, estou cansado
Peço a Deus, que me volte a integrar
Ao mundo espiritual, ao adverso fado !

São Paulo, 25/09/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Agradeço sua visita ao meu Blog: 

                                                                                                                                                  
Direitos autorais registrados

Mantenha a autoria do poema

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O peso da idade

O peso da idade


Esta minha perambulação cansada
Distende-se a cada dia, a cada ano
Retraindo o passo e a caminhada
Pelo peso da idade, no ser humano

A vitalidade dobrasse ao desalento
Encurta-se o vigor, cresce o dano
Na busca do nada, já sonolento,
Surge neblina, esperança, ledo engano!

No meio do caminho, desfalece
Toda perspectiva que ainda tinha
De viver uma velhice que enaltece

Com dignidade, e respeito humano,
Quando se encurta a vida, e ela caminha,
A largos passos para outro plano !

São Paulo, 24/09/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Agradeço sua visita ao meu Blog.
                                                                                                                                                                                                                                                                                
Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema


segunda-feira, 21 de setembro de 2015

A evolução da humanidade num século

A evolução da humanidade
num século


Com os tempos que mudam, nós mudamos
Na inconstância diuturna do progresso
Televisão, telefone sem fio, melhoramos;
Internet, inovação, que merece apreço !

Do avião, ao helicóptero, às viagens à lua
O avanço melhora consideravelmente,
Até as pedras que calçavam nossa rua
Hoje, são lisas como folha, naturalmente,

Nos últimos cinquenta anos a humanidade
Teve mais progresso do que nos milhares
Que antecederam este período de sagacidade,
Aonde ciência, e conhecimento, foram impares

Na evolução  por caminhos desconhecidos ...
- Que a anterior humanidade, sem idéias
Não tinha noção, de tantos bens perdidos
Quando sua luz, se igualava à das candeias...

- Estou na quarta estação, lúgubre tristeza
Não verei novos avanços, que certamente
Darão ao novo mundo modernas proezas.
Pensar em perdê-las, deixa-me descontente.

Porangaba, 20/09/2015
Armando A. C. Garcia

Agradeço sua visita ao meu blog.
http://www.textoregistrado.com.br/images/logo.jpg

Direitos autorais registrados
 Mantenha a autoria do poema

Dá-me hoje a paz e eternamente (soneto)

Dá-me hoje a paz e eternamente
(soneto)


Meu Senhor vós sabeis perfeitamente
Das mazelas que circundam minha alma
Dá-me hoje a paz e eternamente
Essa luz que perpétua e acalma

Senhor, Tu que dispões de nossa vida,
Da alegria, d’aflição e desventura
Dá-me em teu reino a acolhida
Amparo da esperança futura

Para em tua mão eternamente
Tranquilizar a alma e coração
Na Tua mão, alcançarei certamente

P’ra minha alma, a eterna redenção
Porque em Ti, está a vida permanente
O consolo, a paz e a salvação !

Porangaba, 19/09/2015
Armando A. C. Garcia

Agradeço sua visita ao meu blog:

Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

O teu sorriso menina !

O teu sorriso menina !


Teu sorriso é como a natureza em flor,
És como o sol da vida, que traz claridade
Tens em ti, um magnetismo encantador
Que fascina pela tua gracilidade

E com esse deslumbramento constante
Nos cativas num manancial de amor
Que exulta da alma ao teu semblante
Como a luz da manhã, no primeiro alvor

Só sei dizer, que teu sorriso nos encanta
E enche nosso coração de esperança,
Nem a sublimação e o esmero o suplanta

Digo, ainda, que teu olhar nos domina
E faz de nós, uma pequena criança
De tanto que nos cativa e fascina

São Paulo, 03/09/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Visite meu blog:
http://brisadapoesia.blogspot.com

Direitos autorais registrados

Mantenha a autoria do poema