Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O ALCOÓLATRA

O ALCOÓLATRA

Caminha desvairado rumo ao abismo
Sob o efeito euforizante da bebida
Que a predisposição do álcool proporciona
Num estado de dependência emocional

Em cada botequim que passa toma uma
Palmilha o caminho do mundo que criou
Ressacas, perda de auto estima, desencantos
Tristeza, angustia, ansiedade, depressão

A que a feroz vontade de beber o sobrepõe
Falha nos compromissos do emprego
Onde está sendo comentada sua dispensa
Os efeitos da bebida com mais intensidade

Se fazem sentir e ninguém suporta mais
Bebe pela manhã, bebe antes do almoço
Bebe à noite e bebe nos fins de semana
O seu encanto maior se chama cana

As conseqüências sociais e morais de seu ato
Cuja vida foi descontrolada pelo álcool
São tão fortes, tão intensas e perversas
Que arrastam o indivíduo ao abismo

A memória é abalada pela bebida
No fígado transforma-se em aldeído acético,
Atingindo veias, cérebro e o sistema nervoso
Noutra palavras, fica intoxicado

As debilidades que o álcool provoca
Ulceras, cirroses, inflamações estomacais
Deterioração dos tecidos do cérebro
Além de deixar a pessoa sem condições

Não beba. Fuja do álcool enquanto é tempo
Porque chegará o dia em que será seu escravo
Não jogue no abismo sua existência
Lute contra as más tendências e seja FELIZ.

São Paulo, 19 de março de 2009
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário