Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

AMOR !



AMOR !


Teu amor, prende e me encanta
Teu rosto, é tal de uma santa
Teu olhar, a luz sagrada
Ao romper da madrugada

O teu corpo, sem igual
É como puro cristal
Me enlevo no que pressinto
Pelo amor que em ti sinto

Contemplando, mudo e quedo
Tão delicado brinquedo
Tremo e não me atrevo
A tocar no santo enlevo

Pôs-me Deus no teu caminho
P’ra ver se alcanço sozinho
A paz e a tranqüilidade
A alegria e a saudade

Não sei se tu, meu amor
Dás ao meu, igual valor
Descrevi, só o que vejo
No sonho de meu ensejo

Tem o efeito de um feitiço
Meu amor, eu sinto isso
Perdido nos desenganos
Das ondas dos oceanos

Tu, és mais do que eu mereço
Afeto de grande apreço
És primavera em flor
No mar vogando ao sabor

Quem me dera fosse estrela
Assim, eu poderia vê–la
Do azul cinzento dos céus
Da janela lá de Deus

Teu amor não se resume
Num brilhante vaga-lume
Mas na auréola sagrada
Que cobre a túnica alvada

Oh! Princesa que saudade
Revolvo cinzas da idade
Esperanças que nutri outrora
Rolam dispersas agora

Mas o amor é tão insano
Ergue um altar ao desengano
Cruel dúvida que magoa
E o amor, tudo perdoa.

São Paulo, 23/09/2009
Armando A. C. Garcia 
E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário