Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Mundo do faz de conta

Mundo do faz de conta

O mundo do faz de conta,
A Justiça, já alcançou
Faz de conta que se prende
Quem o sujeito matou

Da pena que era vinte
Só um quarto vai cumprir
Numa morte com requinte
Sai da cadeia a sorrir

A família dessa vítima
Revolta-se e com razão
De ver o criminoso solto,
E, mediante o perdão

A sociedade clama
Por justiça e não a tem
Lágrimas de raiva derrama
Mas não a escuta ninguém

A Câmara e o Senado,
Passam o tempo a conferir
O que eles fazem errado
Sem coragem pra se punir

Nosso povo, esse coitado
Que paga a conta total
Anda mal alimentado
E, numa tanga geral

Ninguém a gerir a nação
Se preocupa em rever
Essa tal de progressão
Fazendo a pena, valer

Na cadeia nada falta
Até sexo se pratica
É uma ofensa à ribalta
Registre-se, aqui a crítica

Ao final, não cumpre a pena
E sai livre com dinheiro
Creio mais valer a pena
Que o trabalho soalheiro

Recebe auxilio reclusão
No valor de R$ 915,05
O do trabalho honrado
É de R$ 622,00, o suado !

Isto, é devassidão
Imoralidade total
Se não é escravidão
É escravidão imoral


São Paulo, 18/04/2012
Armando A. C. Garcia



Um comentário:

  1. Todas as que li achei muito ótima. você é de fato um grande poeta! meus parabéns. Gostaria que lesse as minhas também. Não são tão boas como as suas, mas faço o que posso. Estou no sitedepoesias. Abraço

    ResponderExcluir