Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 10 de abril de 2012

A Afinidade

A Afinidade



A afinidade, transcende o racional
Afeição que resiste ao antes e ao depois
É o algo do instinto espiritual
Inerente nos homens e nos animais

Agnação é pensar igual, mesmo longe
É sentir, sem saber porquê, tanto querer
É ter esperanças iguais. E sem ser monge
Ver na afeição da alma o seu dever

A afinidade é a sutil semelhança
Que entre dois seres se estabelece
E na coincidência de gostos alcança
E o coração e mente, nunca esquece

Não importa a distância ou a ausência
Que existe nessa relação sentimental
A alma, na mais pura clarividência
Enxerga teu íntimo, e o sente cordial

Através dessa relação transcendental
Entre dois seres, surge a afinidade
É diferente do amor, é paradoxal
É um vínculo que atravessa a eternidade

É um sentimento fraterno do coração
É a alma em constante evolução
Não se confunde com a crisálida paixão.
É doar incondicionalmente afeição

São os laços da amizade que não quebra
Nasce do inconsciente, aflorando no olhar
Às vezes nos parece ser uma grande zebra
Mas o sentimento está lá insculpido no ar

Ela, já existia antes de se conhecer
A pessoa pela qual temos afinidade
É sem dúvida um anseio a carecer
Relacionar-nos com similar identidade

Comungam as idéias e pensamentos
No gênio, no humor, no temperamento
E na contemplação da vida atentos
Ao desenrolar os mares de comportamento

São eflúvios a rolar, de eras passadas
Captando nas mensagens espirituais
Como clarão de luz sideral nas alvoradas
Apontando o infinito aos iguais !




São Paulo,10/04/2012

Armando A. C. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário