Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

domingo, 19 de agosto de 2012

Troca-se



Troca-se

Troca-se o bem pelo mal
O vero, pelo irreal
O vício, pela saúde
Mesmo que leve ao ataúde

Troca-se Deus, por satanás
Tem gente que até é capaz
De sua família trocar
Se o dinheiro apontar

Troca-se a vida do campo
Pela do agitado trampo
Numa cidade qualquer
Com poluição pra valer

A razão, pela mentira
E do mundo, ninguém tira
O poder da trocação
Até amor, pela ilusão

 Troca-se tudo na vida
Só depende da ocasião
Se a troca é necessária
Seja nobre, não falsária

Na inversão dos valores
Trocam-se bons, pelos piores
Num clima de louvação
Com jeitinho de salão

Trocam-se homens de brio
Por palavras, de um vazio
Sem semente e, nada mais
É barco, parado no cais

Troca-se pura alquimia
Onde reina a harmonia
A calma e a oração
Pela reles imprecação

A sagrada natureza
Com toda sua pureza
Pela vida cosmopolita
Onde tudo se agita

Troca-se o amor, pelo ódio
Centeio, pelo serôdio
Troca-se o céu, pelo inferno
O verão pelo inverno

A verdade, por fingimento
O amor, pelo esquecimento
A sorte, pela desventura
O certo, pela aventura

A face da liberdade
Pela da totalidade
De regimes de desdita
Onde o povo geme e grita

Troca-se a paz, pela guerra
A floresta, pela serra
O justo, pelo injusto
O novo, pelo vetusto

Troca-se tudo na vida
E a cada nova investida
A troca é defendida
E a troca, troca, é mantida…

Porangaba, 19/08/2012
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário