Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 22 de março de 2012

Glacial solidão !

Glacial solidão !

A alma fica a chorar
Se passas e não me vez
Já não tem onde morar
Se não for, só a teus pés

Teus caminhos percorri
Buscando teu coração,
Parece que te perdi
Fugiste de minha mão

Por teu amor eu faria
Uma loucura qualquer
O mundo percorreria
Para ao teu lado viver

És todo meu sentimento
E não o posso negar
Se livre meu pensamento
Não é, o meu penar

Gostar de alguém na vida
É destino, ou perdição
Castigo, sem ter guarida
Glacial solidão !

Tua ausência é maior
Ao fingir que não me vês
Só aumenta minha dor
Todos vêm, tu não crês

Tu, em mim não deitas fé
É a fria realidade
Mas eu, não arredo o pé
Ativarei tua vontade !

As lágrimas que eu chorar
Quero-as colecionar
Para um dia as vingar
Na felicidade, que espero!

São Paulo, 22/03/2012
Armando A. C. Garcia


Nenhum comentário:

Postar um comentário