Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Na Flor da Idade ...

Na Flor da Idade ...


Mandarei florir as matas e os jardins
Tocar trombetas aos anjos e querubins
Pôr luzes de áureos reflexos a brilhar
Alcatifarei de flores, aonde fores passar

E à sombra deste afeto de saudade
O eflúvio que exala a flor da idade
É semelhante à luz da madrugada
Início de
vida, começo de jornada

Na culminação decisiva da vida
Ao apogeu quero ascender-te querida
Porque a ascensão lenta fere a alma
E a pressão barométrica dá calma

Enquanto o sonho cresce, o tempo o vence
E a intercessão fatídica a ele pertence
E em sendo o tempo o senhor da vida
Vamos saber usá-lo, pois, querida !

O tempo é o embrião onde tudo acontece
A vida é um sopro divino que perece
Derradeiro receptáculo da matéria
Onde a alma corre em sua artéria

Porangaba, 03/03/2011
Armando A. C. Garcia

Um comentário:

  1. Que poesia expressiva e deslumbrante meu amigo!!
    É um momento de aplaudir!!
    Parabéns mais uma vez meu amigo
    Bea

    ResponderExcluir