Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Velhas lembranças

Velhas lembranças


Cheio de amor, menino, criança
Vi em ti, mulher minha esperança
Meu primeiro amor, minha ilusão
A quem dei posse de meu coração

Paixão indômita, não vencida
Coração ansioso, alma perdida
P’ra ti,  foram meus primeiros versos
Como um dever maior neste universo

Quando indefeso, teus braços busquei
Os meus, foram pequenos, não alcancei.
Entreguei-me a ti, em tenra idade
Fui buscar nas cinzas da saudade

Meu pobre coração, sem esperança
Vive refugiado na lembrança
Que tua alma ardente amor jurava
Quando outro amor, já agasalhava

Se houver em ti um viso de saudade
Dos tempos de criança, mocidade
Longe de meus olhos, podes chorar
Meu coração... continua a te amar !

São Paulo, 14-02-2012
Armando A. C. Garcia

Um comentário:

  1. Olá!
    Quem não tem saudades da infância?
    Sinto falta de muitas coisas.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir