Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Solilóquio

Solilóquio


Nem sempre é *solilóquio
Aquilo que o poeta escreve
Muitas vezes é um **circunlóquio
Pois falar dele, não se atreve

Têm sentido figurado
As palavras do poeta
Fala do amor, do tornado
Por vezes, até da proveta

Verdadeiro laboratório
Está na mente secreta
Vai do céu, ao purgatório
Às vezes, até ao capeta !

Não se iluda minha gente
Com palavras do poeta
Ele escreve... é imprudente!
O que lhe vem na veneta

Eu não quero aqui julgar
As ***escrófulas do poeta
Pois sua mente ao criar
Soa o ****clangor da trombeta

São Paulo, 04-08-2011
Armando A. C. Garcia

Visite meu Blog:http://brisadapoesia.blogspot.com

*monólogo
**rodeio de palavras
***infecção tuberculosa
****som estridente

Nenhum comentário:

Postar um comentário