Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 11 de abril de 2022

O teu silêncio

O teu silêncio

 

O teu silêncio,
permanente, profundo...
Cripta minha razão
Meu entendimento
Gira minha cabeça...
Tira-me o sono
Gela meu sangue
Maltrata,
Corrói, dói !

Tua ausência
Impaciência...
Tua impertinência !
Quando falta a esperança
Dói! Como dói...

E neste caminhar silencial
Vejo horas passar
Fazendo os dias
E a noite chegar,
longa, vazia...
Mas Tu, silencias
Minha impaciência
Tua impertinência.

Ausência
Desistência...
Solidão, paixão!
Desencanto
Pranto.

E assim caindo,
Caindo vão,
Uma... após uma...
As palavras de carinho
de amor e afeto !
Desafeto talvez

E assim caem...
Todas de uma só vez
Todas caindo, cada vez mais
Teu silêncio
Afastamento...
Esquecimento!
Pobre paixão!


Se não é vírus...
É virose -
Medo !
Ilusão !
Diz ao menos o porquê
Qual a razão...
...Que foi então?...

SP 21/11/2004
Armando A. C. Garcia

 

Visite meus blogs:

http://brisadapoesia.blogspot.com

http://preludiodesonetos.blogspot.com

http://criancaspoesias.blogspot.com

 

Direitos autorais registrados

Mantendo a autoria do poema – Pode compartilhar

 

O teu silêncio,
permanente, profundo...
Cripta minha razão
Meu entendimento
Gira minha cabeça...
Tira-me o sono
Gela meu sangue
Maltrata,
Corrói, dói !

Tua ausência
Impaciência...
Tua impertinência !
Quando falta a esperança
Dói! Como dói...

E neste caminhar silencial
Vejo horas passar
Fazendo os dias
E a noite chegar,
longa, vazia...
Mas Tu, silencias
Minha impaciência
Tua impertinência.

Ausência
Desistência...
Solidão, paixão!
Desencanto
Pranto.

E assim caindo,
Caindo vão,
Uma... após uma...
As palavras de carinho
de amor e afeto !
Desafeto talvez

E assim caem...
Todas de uma só vez
Todas caindo, cada vez mais
Teu silêncio
Afastamento...
Esquecimento!
Pobre paixão!


Se não é vírus...
É virose -
Medo !
Ilusão !
Diz ao menos o porquê
Qual a razão...
...Que foi então?...

SP 21/11/2004
Armando A. C. Garcia

 

Visite meus blogs:

http://brisadapoesia.blogspot.com

http://preludiodesonetos.blogspot.com

http://criancaspoesias.blogspot.com

 

Direitos autorais registrados

Mantendo a autoria do poema – Pode compartilhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário