Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 11 de maio de 2022

Miranda é o meu altar

Miranda é o meu altar

 

S’existem templos no mundo

Miranda é o meu altar,

Sendo de ti oriundo,

Vou te sempre contemplar

 

Em teu santuário a alma

À noite aí vai repousar,

Eternamente me acalma,

- Para à vida retornar

 

Exteriorizo o pensamento

Com vontade de chorar

Daí parti, eu lamento ...

Em não puder retornar

 

Vida ingrata! o meu destino

Atravessei o oceano

Num ideal, puro cristalino

Pra voltar, puro engano

 

Mágoas, não quero redimir

Nem quero traduzir pesares

Nunca eu deveria partir

Se em ti, estão meus altares !

 

Penedias e montes ermos,

Nas falésias escondidos

Caminhos tinham termos

Às azenhas definidos   

 

Os caminhos tortuosos

D’arribas adormecidas

Hoje, belos e pomposos

P’lo progresso abrangidas

 

S’existem templos no mundo,

Miranda é o meu altar

Sendo de ti oriundo,

Vou sempre te contemplar

 

11/05/ 2022 (data da criação)
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:

http://brisadapoesia.blogspot.com

http://preludiodesonetos.blogspot.com

http://criancaspoesias.blogspot.com

 

Direitos autorais registrados

Mantendo a autoria do poema – Pode compartilhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário