Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Ego de esperanças perdidas (soneto)


Ego de esperanças perdidas (soneto)


Tu, que encheste meu ego de esperanças
Hoje não sei onde descarrego tais
Foram gratas, as felizes lembranças,
Hoje as procuro, e não encontro mais

Tu, que meu coração prazenteavas
Com teu alegre e lindo gracejar,
Era assim, que outrora enganavas,
P’ra com esse engano, me alcançar

E eu, em bruto transformado, não via
Que bebia num rio duvidoso
Aonde a natureza, às vezes cria

Um nefasto vírus infeccioso.
Nesse sorriso feliz, hoje jocoso,
Que de mim, tirou toda a alegria !

São Paulo, 14/10/2015 (data da criação) 
Armando A. C. Garcia 

Visite meus Blogs: 
http://brisadapoesia.blogspot.com 
http://preludiodesonetos.blogspot.com               http://criancaspoesias.blogspot.com
                                                                               
Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário