Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Sucumbiram as ilusões da mocidade

Sucumbiram as ilusões da mocidade 


Sucumbiram as ilusões da mocidade 
E as incertezas hipotéticas da idade 
Restando da natureza uma esperança 
De ter sido feliz, quando criança. 

Sinto exaurir-se a vida, como um sonho 
Por isso, eu a considerar me ponho 
Se valeu este mundo de perspectiva 
Ante a volúpia tão intempestiva 

Que deixarei de mim para a posteridade 
Nada, além de rudes versos mal escritos 
Mal rimados, na cadência manuscritos 

Numa linguagem onde escuto os gritos 
Da consciência oprimida em conflitos 
Com os horizontes da terceira idade ! 

Porangaba, 10/12/2016 (data da criação) 
Armando A. C. Garcia 

Visite meus blogs: 
http://brisadapoesia.blogspot.com 
http://preludiodesonetos.blogspot.com 
http://criancaspoesias.blogspot.com 

Direitos autorais registrados 
Mantenha a autoria do poema 

Nenhum comentário:

Postar um comentário