Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Inditoso coração

Inditoso coração


Inditoso coração, que não tens ventura,
Porque amas perdidamente quem te não quer,
Já que; em louca esperança se afigura
Que seja teu um dia, o amor dessa mulher !

Desfaz a escuridão desse nefasto engano
Não vencerás a antipatia que te devora,
Seu gênio vil, contra ti, é desumano
Não percas tempo, não deixes fugir a hora.

Corta os grilhões, se teu coração palpita
Pra pôr fim, a esse pranto de dor e ciúme,
Foi pura fantasiosa, promessa não escrita.

Dá repouso ao teu pobre coração,
Pois esse amor, que foi chama, foi um lume
Que o vento alísio apagou na próprio chão !

São Paulo, 22/01/2017
Armando A. C. Garcia 

Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário