Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Ausência

Ausência 


Morta a dor dum amor, de longos anos 
Eis que emergem saudades esquecidas 
Escondidas em recônditos arcanos 
Qu’em verdade julgava adormecidas 

São paixões infrenes da juventude 
Num oceano que sufoca idéias 
Qual sangue que percorre nossas veias 
Útil, benéfico e profícuo à saúde 

E no cadafalso daquela agonia 
Sua ausência, depois da tarde sombria 
Restringia o percurso natural 

Na luta dos sentidos desigual 
Que no sofrimento atroz inda jazia 
Depois de sua ausência. Quem diria ! 

Porangaba, 10/12/2016 (data da criação) 
Armando A. C. Garcia 

Visite meus blogs: 
http://brisadapoesia.blogspot.com 
http://preludiodesonetos.blogspot.com 
http://criancaspoesias.blogspot.com 

Direitos autorais registrados 

Mantenha a autoria do poema 

Nenhum comentário:

Postar um comentário