Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Se a alma inda consente


Se a alma inda consente


Não se engane, quem ver o desengano
Na vil, cruel e dura fantasia,
Igual sonho, esperado há tantos anos
Ninguém supunha que um dia morreria.

Não me deixes morrer tão descontente
O sonho e a vontade está mudado,
Lembrança na memória é permanente
No mais, o mal presente, é meu passado

Se nesta vontade a alma inda consente
Não posso imaginar de ti ausente,
Os dias de ventura que  sonhei !

No inglório ciclo... que por ti passei
Sonho de amor que jamais alcancei
Lembrança sonhadora deste mal presente !

São Paulo, 20-09-2016 (data da criação)
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com                        http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com

Direitos autorais registrados

Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário