Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 18 de julho de 2016

O gênio da garrafa (infantil)

O gênio da garrafa (infantil)


Um gênio saiu da garrafa
E apresentou-se à menina
Que chorava sem parar
Perguntou-lhe: porque choras?

Toda chorosa, respondeu
Minha mãe, ali está morta
Eu, nada posso fazer
O gênio vendo a cena

Pediu à pobre pequena
Que fizesse uma oração,
Ela, orou com fervor
E como benção do céu

O bom Jesus respondeu
Tua mãe está doente
Chama médico eficiente
Que tua mãe não morreu.

A menina pediu socorro
Acorreu todo seu povo
E sua mãe se salvou
Graças ao gênio da garrafa

Que vendo-a ali a chorar
Desanimada, sem força
- Trouxe consigo a resposta
Pra sua mãe melhorar !

São Paulo, 18/07/2016 (data da criação)
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com            
http://criancaspoesias.blogspot.com
 
Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário