Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

domingo, 26 de junho de 2016

Sem saber o que escrever

Sem saber o que escrever


Longe das musas, sem saber o que escrever      
Sinto-me, tal como um peixe fora d’água
Penso e não sei, o que devo, ou não dizer
Só não piso na lama, se ponho o pé na tábua

Entre várias idéias e inclinações
Não sei se busco a de ideal firmeza
Na mudança, que muda as opiniões
Defeito comum em minha natureza

No invariável movimento, não descansa          
A inconstância prima deste vil desejo
Não há no mundo maior insegurança

De que sem ter o que dizer, querer escrever
Por isso, ante vós penitencio este bocejo
Estejam certos, não tinha nada pra dizer !


Porangaba, 25/06/2016 (data da criação)
Armando A. C. Garcia
                                                             
Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criançaspoesias.blogspot.com

Direitos autorais registrados

Mantenha a autoria do poema  

Nenhum comentário:

Postar um comentário