Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

domingo, 26 de junho de 2016

Eu e a Coruja !

Eu e a Coruja !


O relógio apontava uma hora da manhã
Acordei com um barulho muito intenso
Fortes batidas nos vidros, coisa estranha
Acendi a luz, então o barulho foi imenso

Abri uma das portas, da sala ao varandão
Deparei-me, nada mais, e nada menos
Com uma senhora coruja, que com razão,
Buscando a liberdade, projetava-se nos vidros

Numa dessas arremessas foi de encontro
Á porta de vidro, que lhe antecede uma de ferro,
Enroscando-se entre ambas, tentei sem confronto

Retirá-la do local, antes, se desenvencilhou    
Projetando-se no vidro oposto, caindo ao chão
Tentei pegá-la. Voou, saindo por onde entrou !

Porangaba, 26/06/2016 (data da criação)
Armando A. C. Garcia
                                                            
Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criançaspoesias.blogspot.com

Direitos autorais registrados

Mantenha a autoria do poema  

Nenhum comentário:

Postar um comentário