Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 7 de março de 2016

O Rochedo

O Rochedo



Bate o mar enfurecido no rochedo
Em espuma se transforma sua ira
O seu poder feroz nos causa medo,
Mas calma à tempestuosidade, afluíra

Eis que o mar serenou e na calmaria
Impávido lá permanece o duro rochedo,
Como que se desafiador à oceânia
Assoladora na imensidão do medo

Senhor dos mundos interplanetários
VÓS, que lá dos espaços siderais
Comandais rios, mares e catedrais

Olhai os que têm a síndrome do medo
E fazei seus corações ficar iguais
À fortaleza dura do rochedo !


Porangaba, 07/03/2016 (data da criação) 
Armando A. C. Garcia
 

Visite meus blogs:
 
http://brisadapoesia.blogspot.com
 
http://preludiodesonetos.blogspot.com
 

Direitos autorais registrados 
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário