Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Senti a dor trespassar... ! (soneto)

Senti a dor trespassar... ! (soneto)


Depositei em tuas mãos a mocidade
Senti a dor trespassar o coração.
Cansado de aguardar outra intenção,
Que a vida me frustrou em tenra idade.

Na perfídia que o tempo não apaga
Nos males que contra mim conjuraste,
Vós que meu peito, por vós, inflamaste
Sóis da paixão imortal, a própria adaga

Tolhendo à vida, os sonhos de ventura. 
Ponde fim, a um tormento, tão comprido
Já acabei pobre d’amor, desiludido

Vergonhoso castigo de desventura,
Por vós a mim infligido sem sentido,
Retraíde-vos, desse pesar em vós ‘scondido !

São Paulo, 10/11/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com

Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema


Nenhum comentário:

Postar um comentário