Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Mãos escondidas, (soneto)

Mãos escondidas, (soneto)


Mãos escondidas, atrás do pensamento
Buscando enganar os rumos da poesia
No saguão de motivos do comportamento
Que envolve a imaginação à fantasia

E nesse empírico assopro excitante
O poeta que escondia de si, suas mãos
Não hesitou sequer mais um instante
E passou a versejar pra seus irmãos

Escrevendo sobre Deus e o Universo
Narrando minuciosamente o evangelho
Em cada estrofe de seus agrupados versos

Levando aos corações empedernidos
Uma fagulha de amor e um conselho
Para limpar-lhes a cera dos ouvidos

São Paulo, 04/11/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Visite meus Blogs:
 http://brisadapoesia.blogspot.com
 http://prelúdiodesonetos.blogspot.com  

                                                                                                                   
Direitos autorais registrados                                                                                                                  

Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário