Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

As oscilações ... (soneto)

As oscilações ...  (soneto)


As oscilações *perfunctórias da vida
Com sacrifício inaudito venci
Sempre mantive o meu amor por ti
E, sem ter-te, és a minha preferida

Amor, na eterna e mansa mansuetude
Fosse a vida realmente o que não é,
Teu desamor, foi o primeiro pontapé
Que levei de tamanha magnitude.

No polo da mentira estonteante
De um ato impensado e delirante
Lançaste no **opróbrio meu amor

Em ***deletéria anomalia contumaz
Que a ira e a raiva sempre traz,
Afastando, para sempre nosso amor !

*superficial;ligeiro
** ignomínia: desonra
***prejudicial; danosa

São Paulo, 11/11/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com

Direitos autorais registrados

Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário