Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Que farei !

Que farei !


Que farei, cego d’alma, sem alento
Coração triste, pungindo em dor
Talvez, recolher-me a um convento
Ou despencar das asas dum condor

Que farei, pra fugir d’áspero destino
Que tanto me enganou com vil ventura,
Pra prostrar-me a chorar na sorte escura,
As lágrimas de fel, do desatino !

Que farei, diz-me agora ò musa
Divindade inspiradora do poeta
Minha mente, já está tão confusa

Que não sei o que farei, certamente...
Talvez como Simeão, seja um *asceta,
Ou caminhe, pela vida descontente !

* exercício que leva a plenitude da vida moral


São Paulo, 22/10/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Visite meus Blogs:
 http://brisadapoesia.blogspot.com
 http://prelúdiodesonetos.blogspot.com                                                                                                             
Direitos autorais registrados                                                                                                                  

Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário