Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A raiva, (soneto)

A raiva,   (soneto)
  

A raiva, é um sentimento primitivo
Que extrapola a razão e o bom senso
Do indivíduo, contrário ao *cognitivo
Da conduta, moral e do consenso

A raiva, gera o ódio, a ira, o rancor
Destrói, assola, arrasa e devasta
Os sentimentos de carinho e amor
E do correto caminho nos afasta

É tão clara e tão certa esta verdade,
Que a raiva, pelo amor, sempre é vencida
Quando a razão em invulgar **acuidade

Celebra o triste fim, e nele te convida
A respirar na solidariedade 
O terno vento, que alenta a vida !
                                                                                                               Direitos autorais registrados       
                  * ao conhecimento: à percepção
                **perspicácia

, São Paulo, 21/08/2015 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Agradeço sua visita ao meu Blog:


                                                                                                                                                                                            

Nenhum comentário:

Postar um comentário