Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Da mãe natureza



Da mãe natureza





Parece sempre tudo igual, reconheço

Mas há substancial mutação em apreço

E todos os fenômenos da mãe natureza

Têm de Deus o prodígio, e sua justeza



De pólo a pólo, da eólica fúria do vento

À fúria insana do oceano em movimento

Força imensa que de glórias preconizam

Os feitos Teus, que de amor enraízam



Do albor da manhã, até ao sol poente

Da voz do trovão à escuridão da noite

Entre o céu brilhante e a horrenda tormenta



Da andorinha sem teto, à estrela cadente

Do leão indomável, ao flagelo do açoite

Tudo, tem a mão de Tua ferramenta.



São Paulo, 13/01/2014
Armando A. C. Garcia


Obrigado por visitar meu Blog.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário