Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Acre deleite



Acre deleite


Aquela a quem amei de coração  
Levou de mim a esperança e a virtude.
Na parva alucinação da juventude
Parti para bem longe, após seu não

Amei-a cheio de amor, o quanto pude
Aquela chama até hoje me consome
É labareda ardente, o seu nome,
Porque o destino comigo, é tão rude

Porque o puro amor, tanto se engana
Na chama vivaz, que engana e erra
A alma e a razão, sentido insana

Perdi-me, ao provar do seu amor
Hoje, vejo o nada que ele encerra
E o acre deleite que traz o amor !


São Paulo, 20/01/2014
Armando A. C. Garcia

Obrigado por visitar meu Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário