Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 18 de junho de 2013

Nas aspérrimas asas

Nas aspérrimas asas


Nas aspérrimas asas do destino
Cingi os céus em vôo altaneiro
Olhei o astro sol, qual peregrino
Nas asas, percorri o mundo inteiro !

Mas como o sol que todo dia se põe
As minhas asas deixaram de voar
Será o medo, que entre nós se interpõe
Ou serás tu, que me pedes pra ficar !

No tabuleiro de xadrez sem opção  
Não me restou outra alternativa
Cheque mate, direto ao coração

E como pegureiro, eu sou teu cão.
Mas sendo a esperança uma chama viva
Quem sabe um dia, não seja em vão.

Porangaba, 17/06/2013
Armando A. C. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário