Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

sexta-feira, 31 de maio de 2013

A Menina Pobre (infantil)

A Menina Pobre   (infantil)


Tinha uma linda menina
Era pobre, muito pobre
Quando orava a coitadinha
Tinha sempre um gesto nobre

Pedia aos anjos e a Deus
Por um trabalho melhor
Para que, assim os seus
Tivessem salário maior

Quem sabe assim poderia
Deixar a fome de lado
E comer quando queria
O pão, que hoje é minguado

Cansada de passar fome
A pobrezinha orava.
- A dor da fome a consome
Mas sempre a Deus suplicava

Chegou até a pensar
Que Deus não a escutava.
- Seria pra desanimar,
Mesmo assim, ela orava

Até que seu pai um dia
Chegou em casa contente
Subiu no emprego dizia
Passou a ser o gerente

A menina radiante
Não se esqueceu do Senhor
Foi dali, dali em diante
Que orou com mais fervor.

Porangaba, 29/05/2013
Armando A. C. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário