Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Obsessão



Obsessão





Impertinente pensamento sua figura  

Em vão procuro esquecê-la. E seu retrato

Há muito tempo o queimei com amargura

Pensando livrar-me desse *desiderato



A alucinada visão de sua silhueta 

Em minha mente é constante, interminável

Parece ter o poder monstruoso do capeta

Sua figura a todo instante é infindável



Ah! Certamente devo estar a delirar

Ou talvez no limite das **assimetrias

Que na verdade, não sei onde albergar



E nada no mundo preenche este vazio

Que gravou na mente sua fisionomia

Cuja obsessão, mais parecer um desvario !



·         Aquilo que se deseja; que se aspira

** fig. Desarmonias de certas funções



São Paulo, 18/02/2013

Armando A. C. Garcia

Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

2 comentários:

  1. Tuas palavras, milimetricamente escolhidas, construíram um lindíssimo poema!

    Parabéns pela arte.
    Thais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimada leitora Thais

      O seu comentário alegrou-me muito, em especial por você ter encontrado algo que foi de encontro à sua sensibilidade e, também, pela descoberta do meu blog, relativamente novo.
      Abraços poéticos

      Armando A. C. Garcia


      Excluir