Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 20 de novembro de 2012

... Vítimas do ócio (soneto)


... Vítimas do ócio (soneto)

Tu, que dormes à sombra da inércia
Do ócio, da preguiça e da ilusão
Teu pobre coração está na solércia
Desperta, desse despojo em vão

O ócio gera teu escuro pensamento
Com enigmas profundos e tenebrosos
Procura por claro entendimento
Os anos correm, lentos vagarosos

A ignorância no homem é transitória
A evolução é a luz no desatino
E, combater o ócio é uma glória

Liberto do escravizado destino
Aquele que foi vítima na história
Finalmente, volta-se ao Divino !

Porangaba, 15/11/2012
Armando A. C. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário