Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Estiolado


Estiolado

*Estiolado pela dor e sofrimento
Nesta saudade, penumbra do passado
Que na alma, não abrange o esquecimento
Do amor primeiro, ao coração chegado

Oh! quimeras ilusões de primavera
Dos meus sonhares perdidos em noite fria
Ilusão que passa, a mente não encerra
No crepuscular da vida, a cada dia

Nunca mais este meu sonho se apagou
Caiu em mim, como praga sem consolo
E quanto mais resiste, mais cai ao solo

Esta saudade, é uma chaga tão profunda
Que só quem sofre esta mágoa infinda
Sabe que nem com a morte, termina, ainda!

Porangaba, 21/04/2012 
Armando A. C. Garcia 
*definhado; enfraquecido

Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário