Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 6 de março de 2012

Num amplexo

Num amplexo



E num amplexo cheio de ternura
Eu quero amar-te, ó doce criatura
Um ósculo quente porei nesse afeto
Desejo crescente, inflamável teto

O encontro de nossos corpos ardentes
Aviva e estimula esperanças cadentes
Cicatriza as feridas dá alívio profundo
Às carências, é o ungüento do mundo

O pilar que ampara o ósculo oferecido
O ombro, onde descanso adormecido
Após fugaz amplexo extrovertido

No passar das noites cândidas, desertas
O amor que fecha feridas, as deixa abertas
É a agonia do desejo, na hora incerta


Porangaba, 07/03/2012
Armando A. C. Garcia

3 comentários:

  1. Um Grande amplexo para você que acaba de ler minha poesia.
    Volte sempre.
    Armando A. C. Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Armando, li e apreciei. Amplexo para você. Meu blog de poesias: www.trilhadapoesia.blogspot.com
      Apreciarei sua visita. Com Deus. Uma colega na poesia.

      Excluir
  2. Bom dia!
    Adorei a poesia,tem magia e sensualidade nas palavras.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir