Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Visos de ternura ! ,

Visos de ternura !


Meu frágil coração, porque cortejas
Se não tens uma estrela em teu destino
Nem os visos de ternura repentinos
Enfim, porque ardes de amor... e a desejas

Sem esperança as lágrimas que choras
Rude golpe que sofreste, desilusão
A esta, se antepõem juras de paixão
Vê, meu pobre coração, a quem adoras

Os sôfregos instantes de encantamento
Que os olhos de invejoso desencantou
Alterem sua pujança, sua figura

E que o rio, onde minha mágoa murmura
Lhe leve da lua, a diáfana formosura
E me afaste de fatal pressentimento

Porangaba, 11-02-2012
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs: 
http://brisadapoesia.blogspot.com 
http://preludiodesonetos.blogspot.com 
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados 
Mantenha a autoria do poema
 

Um comentário:

  1. Olá!
    É com prazer que retorno ao seu blog.Linda sua recente postagem.Que bom quando vamos ao encontro de tão belas palavras.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir