Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A Ausência

A Ausência


A longa e pesarosa ausência me sufoca                     
Anos a fio senti teu beijo em minha boca
Cotejei em paralelo meus sentimentos
Venci perigos e contornei contratempos

Porém a ausência, é o castigos dos mortais
Sofrimentos, amarguras, tolhem ideais
Com sentimento verto lágrimas de pranto
Como da primeira vez ao sentir teu encanto

Porque a ausência maltrata tanto assim
Separando o amor que nem a morte põe fim
¹Melífluos seios, como alvores em efusão

Mourejam na idéia quimeras ²estioladas
Onde vive estranho pensamento de ilusão
Chego a ter pena, daquele pobre coração

São Paulo, 11/05/2009
Armando A. C. Garcia

Visite o site: hhtp://brisadapoesia.blogspot.com

¹que flui como o mel
²que perderam o viço

Nenhum comentário:

Postar um comentário