Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A Sete Chaves !...

A Sete Chaves !...



Se esta experiência, tivesse outrora! Então
O amor q’guardei no escrínio a sete chaves
Não teria sido mais um amor em vão
Porque entre nós, não haveria entraves

Incomensuravelmente t’amava tanto
Que esperava esplendor, grande ventura
Não desdouro, nem desmérito quanto
O que passei nestes anos de amargura

Foi desdouro que o mérito não alcança
Dura ausência e um coração pungido
Que o fausto da desgraça inda me lança

Por feroz fado, tenho sido perseguido
Na ampla expressão, perdi a esperança
Eu, que te amava tanto, sinto-me vencido !

São Paulo, 23/09/2011
Armando A. C. Garcia
·      pequeno cofre para guardar jóias



Nenhum comentário:

Postar um comentário