Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Uma só porta e janela (Infantil)

Uma só porta e janela




Finda o dia cai a noite
O frio é como açoite
O sono cai de mansinho,
Leve, leve, qual arminho.

E na casinha singela
De uma só porta e janela
Dorme humilde criatura
Alma simples, alma pura

Não tem ambições maiores
Seus desejos superiores
São os dons espirituais
Ter saúde e nada mais !

Aquele que por ali caminha
Tem pousada na casinha
É pobre, e cheia de graça
Acolhe quem ali passa.

Reparte o pão que tem
Nada cobra a ninguém
Faz caridade sem fim
Quisera eu, ser assim.

São Paulo, 15/10/2004

Armando A. C. Garcia


Nenhum comentário:

Postar um comentário