Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

SURDOS AIS... (Soneto)

Surdos ais...



Tácito desejo devora meu coração
Só recobrando o alento na saudade
Tormento que me sufoca e invade
A minha alma sedenta de paixão

Surdos ais que de amor por ti suspira
A lembrança fruto da imaginação
Sofre o sacrifício com resignação
Nas cevas do mal d’tua irônica ira

Tive a esperança seca, consumida
Prova rígida de minha desventura
Sorvi o fel na taça da amargura

Louco furor da juventude na vida
E tu, a quem tanto amei nessa loucura
Hoje sarcófago de minha sepultura !

São Paulo 21/07/2009
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário