Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

SEM TI ! ... (Soneto)

SEM TI !...


Só restou esta genérica solidão
Do que compus e em sonhos traduzi
Hoje, sinto-me sozinho sem ti
Ave perdida, sem decolar do chão

Só. Sigo em silêncio o meu caminho
Sem ti e longe de ti, curto a desdita
Sofrendo este martírio da vindita
Torvo rancor que sentirei sozinho

Mas se Deus outro amor não me consente
E só de mágoas meu peito Ele tempera
Martírio que o amor consome ardente

Castigo duro, se o mesmo for eterno
Espelho sem luz, que a luz espera !
... Surge sempre primavera, após inverno

São Paulo, 31/03/2010
Armando A. C. Garcia



Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário