Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Perdido em Conjecturas (Soneto)

Perdido em conjeturas



Nos alinhavos de minha poesia
Surgiu em minha mente, teu nome um dia
Nas crespas vagas do pensamento insano
Palpava e sentia teu corpo humano

Naquele vasto pensamento infatigável
Perdido em conjeturas, insaciável
Colhi momentos ternos de carinho
Na taça de teus beijos, sorvi o vinho

Pincelei a fantasia, lisonjeiro
Ao teu soberbo amor não resistia
De todos os amores foste o primeiro

Vieste à minha mente naquele dia
Num pensamento suave, altaneiro
Ganhando foro intimo de ousadia

São Paulo, 17/11/2009
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário