Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

PASSE AO LADO (Soneto)

PASSE AO LADO


Caminhava lentamente cabisbaixo
Pensando ser o maior desventurado
Quando ouço um murmúrio muito baixo
Dizendo: não me pise, passe ao lado

Olhei aquela criatura, se arrastava
Sem pés, sem mãos, era toda deformada
Todavia, sua fisionomia não mostrava
Sofrimento, em sua face iluminada

Voltei a repensar meu comportamento
- Rendi graças ao imortal criador
E, a partir daquela hora, daquele momento

Vi que não era da vida um enjeitado
Porque olhando para trás, sempre há pior
Por mais que o coração pareça magoado !

São Paulo, 18/05/2008
Armando A. C. Garcia


Declamei este Soneto no auditório Prestes Maia, da Câmara Municipal de São Paulo, no dia 12/06/2008, na Consagração Da União do Movimento Poético em São Paulo da Casa Do Poeta - Ao Movimento Poético Nacional, bem como o Soneto -Triste Esperança !. 


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário