Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O resto escuro ... (Soneto)

O resto escuro ...


Na *similitude do teu universo
Canto e choro minha prosa em verso
Porém, não escutas estás adormecida
Estás como dizem, de bem com a vida

Longe de infortúnios e desventuras
Deixa-me flutuar nas mesmas venturas
Tua silhueta, em minha alma está presente
Qual sinete de uma carta imponente

Me alucinam tuas formas extravagantes
Qual veneno **adejando o pensamento
A razão já me deprime, o peito inflama

A esperança se consome, virou chama
Não tenho mais, um lúcido momento
No resto escuro de amores ***abjurantes

São Paulo, 01/09/2008
Armando A. C. Garcia
                                             
* semelhança

                                                                                                                     ** bater as asas: voar           
                                                                                                                  *** renunciar; retratar-se de uma opinião
E-mail: armandoacgarcia@superig.com.b

Nenhum comentário:

Postar um comentário