Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O PRETO VELHO

O PRETO VELHO


Ele estava ali à sua porta sentado
Num rústico banco de madeira
Imóvel, vendo o povo atarefado
E, assim, passava a tarde soalheira

Sua idade nem ele mesmo sabia
Era negro, não porque ele queria
Viera da África, não sabe o dia
Tinha recebido sua alforria

Imóvel qual estátua se sentava
À porta do casebre onde vivia
Ninguém sabe até hoje o que pensava

Nem tampouco o que mais ele fazia
Só, todo o mundo o via a cismar...
Talvez de saudade, do país além mar !

São Paulo, 26/04/2005
Armando A C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário