Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O PEGUREIRO DA PAZ

O PEGUREIRO DA PAZ

No universo da rua
Pregou ao mundo sem par
A palavra nua e crua
Que nos poderá salvar

Sem buscar glória ou fama
Pegureiro, peregrino
Com sua palavra inflama
Nova esperança, no destino

Nos caminhos que percorre
Nunca almejou dinheiro
E ao doente socorre
Do seu povo, ou estrangeiro

Sua palavra ilumina
Corações desesperados
Levando a água da mina
Aos espíritos sequiosos

O pegureiro da paz
Igreja, alguma tinha
Mas ao mundo foi capaz
De mostrar donde provinha

Homem pobre, sem destino
Predestinado à cruz
Foi adorado em menino
O seu nome, é Jesus!

São Paulo, 03/08/2008
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 

Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário