Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

O LAGARTO E A MENINA (Infantil)

O LAGARTO E A MENINA





Morava num sítio afastado da cidade
Com seus pais a pequena Natividade.
Todos os dias caminhava pela estrada
Para ir à escola que ficava na entrada.

Um lagarto, encontrava quase sempre
Mas, pouco a pouco, foi ficando freqüente,
Ao ponto de, com ele fazer amizade
E toda a vez que lá passava, por bondade

Do seu lanche um pouco lhe ofertava
Quando saía mais cedo, com ele ficava,
O tempo certo, de não chegar atrasada
Brincando os dois à beira da estrada.

Certo dia, já cansada, no caminho
Sentou-se numa pedra de mansinho
Mas, vencida pelo sono adormeceu,
Sem acordar, a tarde esmoreceu...

Preocupados os pais saíram procurando
Ninguém a tinha visto caminhando...
Ninguém sabia qualquer informação!
Primeira falta à escola, pura exceção.

Na volta acenderam lampiões
Num caminho de preces e orações,
Quando na curva mais larga do caminho
Avistaram-na dormindo qual anjinho.

A seu lado em permanente sentinela
Seu fiel amigo o lagarto, em tutela
Mais adiante, a serpente esfacelada
Mostrava a dura luta enfrentada.

Natividade! seus pais, por ela chamaram
A menina despertou, após a abraçaram!
Porque antes, o lagarto não deixava
Ninguém tocar na amiga que guardava.

Então, ela contou da pura afinidade
Que fizera com o lagarto amizade.
Pela cena, seus pais compreenderam
Tê-la salvo da cobra que encontraram

São Paulo, 22 de agosto de 2004
Armando A. C. Garcia


Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com
http://criancaspoesias.blogspot.com
 


Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário