Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O ESCARRO ! (Soneto)

O ESCARRO !


Escarraram na cara da sociedade
Que desilusão, que tremendo contraste
A nação está envergonhada de verdade
O que devia ser esteio, não é, nem haste

Liberta-se um louco, talvez um *visionário
À sociedade cabe o ônus do confrade
E o pai da vítima de joelhos no calvário
Suplicando para que haja lealdade

Não se pode confundir liberdade
Com libertinagem ou bandalheira
Ou dulcíssimos favores de amizade

Porque os dons da justiça, suprema arte
Não pactua, no que parece brincadeira
Mas na base do direito a que faz parte !
                                             * excêntrico
São Paulo, 30/08/2007
Armando A. C. Garcia

E-mail: armandoacgarcia@superig.com.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário