Bem vindo à Brisa da Poesia!

Espargindo fragrância nas mal dedilhadas letras, levo até vocês, uma amostra tecida no rude tear da minha poesia! Espero que o pensamento exteriorizado nos meus versos leve até vocês momentos de deleite e emoção!
Abraços poéticos, Armando A. C. Garcia
São Paulo, 06/08/2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O Convexo do Amor

O Convexo do Amor

Imagem refletida em um espelho esférico. O fotógrafo é visto no topo.


Eu já chorei no seu ombro
Corri lágrimas sem parar
Vejo agora com assombro
Onde o burro ia amarar !

O pranto dos teus olhos
Vejo agora, certamente
Como pedindo a Deus
Arrependida e descontente

É a vingança da vida
Castigo que Deus nos dá
De sofrer arrependida
A perfídia de ser má

Pedes por misericórdia
Para p’ra ti retornar
Já me bastou a discórdia
De não quereres mais amar

Sabia que tu, um dia
Irias querer voltar
Pensando que não fecharia
As portas para tu entrar !

Porangaba, 30/04/2011
Armando A. C. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário